Mulher reaplicando protetor solar corporal

Conheça a importância do protetor solar corporal


Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

A prática de skin care está mais em alta do que nunca. As pessoas passaram a cuidar mais da pele, com hidratantes, séruns, esfoliantes e diversos outros produtos. No entanto, muita gente foca só no rosto e esquece do restante do corpo, principalmente com relação ao protetor solar.

Apesar de ser um hábito simples, muita gente ainda faz um uso inadequado do produto. Afinal, o filtro solar deve ser aplicado mais de uma vez ao dia, mesmo para quem não vai ficar exposto ao sol de maneira direta. Já para quem quer se bronzear, ir à praia ou a uma piscina, o cuidado com a pele do corpo deve ser redobrado.

Ao longo deste artigo, vamos explicar a importância do protetor solar corporal para a saúde da pele. Acompanhe!

Como o protetor solar atua na pele?

A principal função do protetor solar corporal é diminuir os efeitos da radiação ultravioleta sobre a pele. Vale lembrar que essa radiação é emitida não só pelo sol, como também por telas de computadores, celulares e outros dispositivos.

As substâncias presentes no produto impedem que os raios penetrem nas camadas mais profundas da pele. Há duas formas como isso pode ser feito:

  • Protetor solar químico: é o produto mais comum. Ele absorve a radiação que incide sobre a pele, impedindo que ela passe da superfície.
  • Protetor solar físico: mais denso, ele cria uma camada sob a pele que reflete a radiação. Geralmente, eles são vendidos como os protetores solares com cor.
Mulher na praia com protetor solar corporal

Legenda: Para quem vai se expor ao sol, é importante sempre evitar os horários de 10h às 15h, quando a emissão de raios UVA e UVB é mais intensa.

O que é FPS, PPD ou FP-UVA?

Na hora de escolher um protetor solar, provavelmente a primeira coisa que você olha é o FPS. Porém, não se pode esquecer de verificar o FP-UVA, que também é essencial e, em algumas embalagens antigas, aparece como PPD. Entenda a diferença:

  • O Fator de Proteção Solar, ou FPS, é a medida que mede o grau de proteção contra os raios UVB. Esse tipo de radiação causa principalmente queimaduras, vermelhidão e descamação. O número usado quer dizer o quanto a sua pele está protegida de queimaduras em relação à pele sem nenhuma proteção. Por exemplo, uma pessoa que usou um produto FPS 30 está 30 vezes mais protegida do que quem não usou.
  • O FP-UVA, anteriormente chamado de PPD, é o Fator de Proteção UVA. Ele mede a proteção contra um tipo de radiação que está mais ligado a efeitos de longo prazo, como o envelhecimento precoce e as manchas. O número dele deve ser pelo menos 1/3 do FPS. Ou seja, um protetor FPS 30 deve ter um FP-UVA de pelo menos 10.

Qual é a forma correta de usar?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a maioria dos brasileiros não usa o protetor solar corporal da forma correta. O produto deve ser usado todos os dias, mas com cuidado redobrado nas ocasiões em que há exposição direta. Mesmo entre quem tem o hábito de passar o protetor no corpo, é comum se esquecer de áreas como as mãos, os pés e a nuca.

A quantidade também deve ser generosa. Para facilitar na hora da aplicação, o órgão criou a regra da colher de chá. Para o rosto, a cabeça e o pescoço, usa-se uma colher de chá do produto. A mesma medida server para proteger cada um dos braços. Já as pernas, precisam de duas colheres de chá em cada. Por fim, o torso (frente e verso) também utiliza duas colheres.

O ideal é que o protetor solar corporal seja aplicado de 15 a 30 minutos antes de acontecer a exposição, de preferência antes mesmo de você se vestir. Após isso, ele deve ser reaplicado a cada duas horas. Caso você esteja em contato com a água, não se esqueça de dar preferência a um produto resistente ao líquido.

Qual é o FPS e o FP-UVA adequado?

Para a maioria das pessoas, o FPS 30 e o FP-UVA 10 já são o bastante. No entanto, se você possui uma pele muito sensível ou se queima com facilidade, pode ser melhor escolher um FPS 40 ou 60. O mesmo vale para pessoas com melasma, histórico de câncer de pele na família ou outras doenças dermatológicas.

Duas mulheres e um homem caminhando na sombra.

Legenda: Mesmo na sombra e em locais fechados, os raios solares agem sob a pele. As roupas podem ser uma camada de proteção, mas não impedem totalmente a ação da radiação UVA e UVB.

Pessoas negras e pardas precisam usar protetor solar?

A proteção também é essencial para peles negras e pardas. Apesar de estarem menos suscetíveis a queimaduras, a radiação ultravioleta também age a longo prazo. Por isso, o uso do produto é essencial para prevenir o envelhecimento precoce, as manchas, o câncer e diversas doenças dermatológicas.

E bebês e gestantes?

Durante a gestação, a pele pode ficar mais sensível por causa das mudanças hormonais. No entanto, a proteção solar não deixa de ser essencial. A regulamentação de um produto pela ANVISA já prevê que um produto seja adequado para o uso ao longo da gravidez. Se você sentir alguma reação adversa, busque um dermatologista.

No caso dos bebês, o uso de protetores é recomendado apenas após os 6 meses de idade. Os responsáveis também devem evitar expor a criança ao sol no período entre 10h e 15h, quando a emissão de radiação está mais forte. Sempre que possível, deve-se dar preferência às fórmulas infantis. Após os 2 anos de idade, valem as mesmas regras usadas para outros tipos de público.

Posso passar o protetor solar corporal no rosto?

Essa troca pode ser prejudicial para a sua pele. Os protetores solares faciais e corporais possuem composições diferentes. Geralmente, os produtos para o corpo são mais oleosos, o que pode causar reações como o aumento de espinhas na face. O inverso também não é recomendado, já que o protetor facial pode não se fixar tão bem na pele do corpo.

Agora que você já sabe sobre os pilares do cuidado com a pele do corpo, que tal saber mais sobre como cuidar da pele do rosto? Então, confira o nosso post sobre skin care em casa!


Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+