Hair,Fall,Problem.,Young,Caucasian,Woman,With,Comb,And,Problem

Eflúvio pós Covid-19: a queda de cabelo depois da recuperação


Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Para muitas pessoas os efeitos colaterais da Covid-19 persistem mesmo após o fim do quadro infeccioso da doença. Muitas pessoas ainda se queixam de fortes dores de cabeça, dificuldade de recuperar o paladar, fadiga e perda capilar.

Dermatologistas têm recebido em seus consultórios queixas de pessoas que contraíram Covid-19 e sentiram uma brusca queda de cabelo depois de se recuperarem da doença. Geralmente os relatos indicam que a queda se inicia em média de dois a quatro meses após a infecção.

Acredita-se que a principal razão para a perda de cabelo após a Covid-19 é o quadro de eflúvio telógeno, um pequeno distúrbio engatilhado pela infecção do coronavírus. Diante desse cenário iremos explicar melhor o que é o eflúvio, sua relação com a Covid-19 e tratamentos adequados.

O que é eflúvio?

Para entender melhor o que é o eflúvio, é necessário entender primeiro como funciona o ciclo capilar.

Os cabelos são produzidos pelos folículos pilosos (raiz), e esses folículos apresentam um período de crescimento, chamado de fase anágena. Em seguida, o ciclo passa para a fase catágena, que é quando os fios param de crescer, deixam de ser “alimentados” pela raiz e se preparam para serem substituídos. Por fim, a terceira fase é chamada de telógena, também chamada de repouso, pois ficam cerca de 3 meses se preparando para serem expulsos pelo novo fio que nasce no mesmo folículo piloso. Quando algum fator desregula esse ciclo, ocorre o chamado eflúvio telógeno.

O eflúvio é a antecipação do ciclo capilar natural, fazendo com que os fios passem da fase de crescimento para a fase de queda mais rapidamente. Em média, é normal que uma pessoa perca de 30 a 150 fios de cabelo por dia, porém quando uma pessoa sofre o eflúvio essa média passa a ser mais de 300 fios perdidos diariamente.

O eflúvio pode ser percebido no cotidiano através da quantidade cabelo que sai na escova, no ralo do banheiro ao tomar banho, no travesseiro ao acordar e até visivelmente nas entradas do couro cabeludo que momentaneamente apresentam um pouco de falha e podem até ser confundido com início de calvície.

A boa notícia em relação ao eflúvio é que por mais que gere um susto e um desconforto, isso não significa que você ficará careca, pois o eflúvio não é visto necessariamente como uma perda de cabelo, e sim uma troca, pois já existe outros fios nascendo no mesmo folículo em que os cabelos que estão se soltando.

 o eflúvio provoca uma queda de cabelo com maior frequência no dia a dia

o eflúvio provoca uma queda de cabelo com maior frequência no dia a dia

A relação entre eflúvio e a Covid-19

Quando uma pessoa passa por uma fase com aumento de queda de cabelo é um sinal do corpo alertando que algo que está acontecendo ou já aconteceu com o seu organismo. Logo é preciso procurar um profissional para avaliar se a queda é provocada de fato pelo eflúvio ou se é por algum outro problema mais sério.

Geralmente, essa troca de cabelo intensa que acontece hoje é o resultado de algo que aconteceu há cerca de 3 meses, pois esse é o período que os folículos retêm os fios de cabelo antes de soltá-los.

As causas para o eflúvio são variadas, na maioria das vezes está associada a um fato que gera algum tipo de distúrbio ou alteração do sistema biológico, tais como:

  • Dietas rígidas
  • Perda de peso
  • Anemia
  • Parada de anticoncepcional
  • Pós-parto
  • Cirurgias
  • Hipotireoidismo ou hipertireoidismo
  • Infecções bacterianas
  • Doenças autoimune
  • Dengue, Zica, HIV, pneumonia, tuberculose e malária

Em 2020 houve muitos casos de pessoas que apresentaram uma queda de cabelo após terem contraído a Covid 19. Por se tratar de uma doença nova, ainda há muitas dúvidas sobre a relação entre o coronavírus e o eflúvio.

Acredita-se que, devido a resposta inflamatória intensa da Covid-19, ocorre uma interferência no ciclo capilar que gera um distúrbio temporário para que os fios entrem em fase de queda precocemente.

Outros fatores relacionados a pandemia do coronavírus também podem contribuir para o agravamento do quadro da queda capilar e que impactam o sistema imunológico, como ansiedade, estresse, preocupações econômicas e até mesmo perda de entes queridos.

as falhas causadas pelo eflúvio pós Covid-19 se recuperam cerca de 3 a 6 meses depois

as falhas causadas pelo eflúvio pós Covid-19 se recuperam cerca de 3 a 6 meses depois

Tratamentos

Na maioria dos casos, o eflúvio é temporário e reversível. Mesmo assim é preciso aguardar de 3 a 6 meses para que o ciclo capilar retorne para sua atividade normal.

Neste período de recuperação do ciclo os tratamentos mais indicados são higienização do couro cabeludo de forma frequente, com uso de shampoos que visam reduzir a oleosidade do couro cabeludo. Além disso, pode ser recomendado o uso de suplemento alimentar como vitaminas para fortalecer o crescimento de novos fios.

Ao notar uma queda anormal de cabelo procure por profissional como um dermatologista para ter certeza sobre as causas e para realizar o tratamento mais adequado.

Cuidar da sua saúde mental também é importante para evitar as consequências da perda capilar causada pela ansiedade e estresse. Por isso, você também pode contar com a gente para te ajudar no seu bem-estar.

Além de oferecermos tratamento capilar, você também pode escolher por outros procedimentos que possam te ajudar recuperar a sua autoestima e praticar o autocuidado.

Entre em contato para saber mais!


Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+