Mulher recebendo aplicação de botox na axila.

Conheça 3 problemas que podem ser tratados com botox


Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+

Você provavelmente já sabe que a aplicação de botox é um dos principais procedimentos para tratar marcas de expressão no rosto. Não é à toa que esse é o procedimento estético não-cirúrgico mais popular no Brasil, segundo uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. No entanto, essa técnica serve para muito mais que combater as rugas.

A toxina botulínica começou a ser testada em 1980. Inicialmente, essa substância era tratar doenças que geram movimentos involuntários e espasmos. No entanto, houve excelentes resultados cosméticos. Assim, foi criada a marca com o nome “Botox”, que hoje é usada para se referir a esse tipo de tratamento. Desde então, os cientistas descobriram diversos outros problemas que podem ser tratados com essa técnica.

Para o artigo de hoje, você vai conhecer tratamentos eficazes por meio de botox para 3 desconfortos estéticos. Vamos lá?

Suor excessivo

Suar durante o período de calor ou enquanto faz uma atividade física é totalmente normal. No entanto, há casos em que a pessoa pode pingar de suor mesmo quando está parada por causa de fatores genéticos, emocionais ou doenças. Essa condição se chama Hiperidrose e afeta cerca de 3% da população de acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Como esse problema pode causar muito desconforto, é comum que ele afete bastante a autoestima. Geralmente, as áreas do corpo mais atingidas são: axilas, mãos, pés e rosto. A toxina botulínica inibe o funcionamento das glândulas sudoríparas, que são as responsáveis pela transpiração no corpo. Com aplicações de botox nessas regiões, é possível resolver o problema de forma muito mais eficaz do que outros tratamentos.

Sorriso gengival

Sorrir é uma das melhores formas de expressar a sua alegria. Por isso, ninguém deveria sentir desconforto ou vergonha do próprio sorriso. Para quem tem sorriso gengival, é muito comum ter esse tipo de sentimento. Uma solução para resolver isso sem cirurgias é a aplicação da toxina botulínica. O botox reduz a tensão nos músculos do lábio superior, o que proporciona um sorriso mais harmônico no caso de quem possui esse problema.

Mulher fazendo aplicação de botox no rosto em clínica de estética.

Legenda: O efeito de cada tratamento de botox dura por um período limitado. O profissional de estética deve indicar a frequência de reaplicação ideal para o seu caso.

Flacidez no rosto e no pescoço

Com o envelhecimento, é muito comum que certas partes do rosto comecem a “cair”, como a ponta do nariz, a sobrancelha ou as bochechas. Para dar uma “levantada” nessas regiões da face com resultados rápidos e sem fazer cirurgia, o botox é uma ótima alternativa. Até mesmo na mandíbula é possível obter excelentes resultados. A toxina botulínica atua para relaxar certos músculos, o que confere uma aparência harmônica e descansada.

Se a sua intenção é ter aquele efeito de lifting sem cirurgia, o ideal é aliar o uso do botox a outros procedimentos. Um exemplo é o preenchimento com ácido hialurônico, que vai devolver o volume à região. Outra excelente alternativa é o Ultraformer III, que usa do ultrassom macro e microfocado para tratar a membrana ao redor da musculatura do rosto.

Contraindicações do botox

As aplicações de toxina botulínica só são contraindicadas em três casos:

  • mulheres grávidas ou em fase de amamentação;
  • pessoas com alergia às substâncias usadas;
  • pessoas que possuam certas doenças ou estejam passando por tratamentos (como o com aminoglicosídeos ou anticoagulantes).

Não há contraindicações com relação à idade. É importante lembrar que o botox deve ser realizado com um profissional capacitado, que use materiais esterilizados e certificados pela Anvisa. Caso contrário, há a possibilidade de ter resultados ruins, como a perda temporária de expressão.

Quer saber mais sobre como funciona a aplicação de toxina botulínica? Acesse este artigo sobre botox.


Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+